Home > registro > Jovem atriz chapecoense estrela série infantil
12/04/2022 registro

Jovem atriz chapecoense estrela série infantil

Nathaly Mellegari tem 9 anos e está no elenco principal de websérie

Com seus apenas 9 anos, Nathaly Mellegari apresenta talentos para além de sua idade. A jovem chapecoense é atriz, locutora, dubladora, modelo, cantora e aspirante a instrumentista. Ao lado de outros nomes conhecidos da internet atualmente, como a atriz Bela Fernandes, a cantora e atriz Giulia Nassa e o tiktoker Nick Gállavan, Nathaly compõe o elenco principal de Trend House, websérie que começa a ser gravada no próximo dia 21, em São Paulo.

A série é uma produção de Brunna Cris e do diretor de novelas do SBT, Marinho Moraes. Nathaly interpretará Luana Pimenta, menina acelerada, fora da média, engraçada e brincalhona. Ela até fez mechas vermelhas no cabelo para entrar na personagem. “O apelido dela é Lupi e vai ter muita gente na Trend House. A Brunna foi quem deu a ideia da gente fazer uma série sobre esse mundo digital. Eles já mandaram o roteiro, eu estou me preparando e estou muito ansiosa para gravar”, explana a jovem. Segundo ela, Trend House conta a história de vários influenciadores digitais que passarão 15 dias em uma casa. A websérie deve ter quatro episódios de 15 a 20 minutos. 

O pai, Denilson de Oliveira, acompanha a inserção da filha no meio artístico desde pequena, e entrou de cabeça em apoiar a filha no projeto. “A personagem da Nathaly é patinadora, então ela está aprendendo em casa a andar com os patins. Ela vai ter o papel de trazer um pouco mais de ‘pimenta’ para a série, situações engraçadas. Eles fizeram os personagens muito o perfil de cada criança que se inscreveu”, afirma o empresário e produtor sonoro. Sobre a série, ele acrescenta que a ideia é colocar alguns jovens em uma casa para trocar ideias, conteúdos, fazer projetos juntos, como um reality show, e os personagens resolvem convidar ainda outras pessoas para participar. Segundo Denilson, a veiculação da websérie está sendo negociada com serviços de streaming.

“Durante a pandemia, ficamos dois anos sem novos conteúdos infantis, então essas crianças não aguentam mais ver produções repetidas na televisão. A Brunna, como trabalha nesse meio, decidiu fazer uma websérie mais restrita que fala sobre mídias sociais, tiktokers, essas coisas todas”, conta o pai, que nunca mediu esforços para investir no talento da filha. “Ela já participou de processos de novelas, de filmes, de dublagem para o Discovery Kids, mas eu preferia que ela começasse com algo menor, mais tranquilo, para poder aprender”.


Artista em ascensão


No último dia 26, Nathaly apresentou-se no programa do Raul Gil, desta vez para mostrar seu talento como cantora. Denilson destaca que a voz da filha é contralto grave. “O que eu posso cantar no máximo é uma Giulia Be ou uma Paula Fernandes. Primeiro aprendi o módulo das cordas vocais, os timbres, depois o diafragma, depois foi dicção vocal e agora estou fazendo impostação vocal”, conta Nathaly.

Ela também está ensaiando para um recital que fará em sua formatura, estuda teclado, aprendeu alguns ritmos na bateria e quer aprender a cantar Marília Mendonça. Além da música, estuda danças urbanas. “Já fiz dois anos e meio de balé, mas desisti porque não gostava muito. Então fui para o hip-hop, que é mais rápido, é muito próximo das danças do TikTok, que eu gosto bastante”, acrescenta.

Apesar da rotina corrida, Nathaly diz estar super tranquila, e que a vida cotidiana de criança não foi impactada. “Assim, eu não sei o que é ser uma criança comum, a minha vida toda eu não sei o que é não ter compromissos. Na minha escola, eles se juntaram para assistir o Raul Gil, e chegaram até a me pedir autógrafos”. Já o pai assume a responsabilidade de organizar o tempo da filha. “Tem que decorar o roteiro da websérie, tem que treinar técnica vocal em casa, ensaiar teclado e bateria, tem que fazer dever de casa, brincar bastante com o avô…”, relata o empresário.


Talento de berço

O talento de Nathaly não foi surpresa para os pais, que deram apenas o empurrão necessário para aperfeiçoá-lo. O pai, Denilson, já foi locutor. A mãe é atriz, locutora e dubladora, e inclusive já estrelou com a filha em alguns comerciais de rádio em São Paulo. Além deles, o avô e outros membros da família cresceram no meio artístico. Denilson conta que antes de nascer, já imaginava que ela iria para o mesmo caminho. “Com quatro anos eu comecei a perceber muita expressão corporal, facial, gestual e pensei ‘isso não é normal’. Então comecei a investir no ramo artístico e começaram a vir os resultados. Tudo o que ela fazia, acabava se destacando”, explica. O próprio sobrenome "Mellegari" foi colocado por ele em homenagem à mãe e com propósito artístico.

Já Nathaly conta que seu interesse pela arte começou quando assistia a novela Carrossel, que tinha, entre os personagens principais, Maria Joaquina, interpretada por Larissa Manoela.  “Meu interesse foi crescendo, até que, quando eu cheguei nos meus quatro anos, participei de um desfile no Shopping Pátio Chapecó com 350 pessoas. Eu fazia curso de modelo, até que um dia meu pai viu que havia uma seleção e ele achava que era para modelos”, revela a atriz mirim.

"Eu a levei pela primeira vez e ela passou. Aí, levei outro dia, ela foi bem também. De tarde, minha esposa a acompanhou. Aí ela me ligou e falou ‘você tá ficando doido? Isso aqui não é para modelos, é para televisão!'”, conta o pai, que inscreveu a filha em uma regional de agências com mais de 10 mil candidatos.

A mãe enviou um material gravado para uma das agências de São Paulo, que se interessou e chamou Nathaly. "Disseram que ela teria um grande talento e estariam interessados em investir nela. Indicaram mentorias, mas disseram que a garota já tinha talento suficiente para ganhar maior exposição na mídia”, conta Denilson. Brunna Cris, que assessora cerca de outras 100 crianças, se interessou em assessorar a Nathaly. 

Sobre projetos futuros, a jovem diz que sonha em trabalhar em novelas. “Não tenho mais dúvidas, eu quero ser contratada pelo SBT. Quando entrei em uma cidade cenográfica pela primeira vez, pensei ‘isso aqui é para mim’, quando figurei em Poliana Moça”. Além de Larissa Manoela, outras referências de Nathaly são Gabriela Fernandes, Giulia Nassa, Ariana Grande, Jennette McCurdy, Gabriela Costa, o tio Jonatan Luiz, fundador da banda Mercosul e hoje produtor sonoro, e seu avô que também é musicista.


Fotos: Arquivo pessoal e Unsplash

AUTOR

Fernando Bortoluzzi

Jornalista e explorador em busca de expansão e conexão.
LEIA TAMBÉM