Home > cultura > Transluz: luzir através do corpo
22/04/2022 cultura

Transluz: luzir através do corpo

Exposição fotográfica e audiovisual acontece neste sábado (23), no Cubo

O Projeto “Transluz: luzir através do corpo” traz para Chapecó uma exposição sobre a temática da transexualidade neste sábado (23), às 21h, no Cubo Multicultural. A entrada é gratuita e o público terá acesso a três séries fotográficas que retratam situações cotidianas de afeto, lazer e trabalho.

Além das fotografias, o projeto exibe um filme curto produzido com base no cinema mudo, no qual as fotografias integram a narrativa junto de textos e trilha sonora, para criar uma ambiência poética e dar vida e movimento às personagens e às imagens captadas com a técnica fotográfica analógica Pinhole. 


Selecionado no Edital Aldir Blanc 2021 e executado com recursos do Governo Federal e da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, realizado pelo Governo do Estado de Santa Catarina por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), o projeto tem como parceiros a União Nacional LGBT – UNA LGBT Chapecó e o Grupo de Apoio e Prevenção à Aids – Gapa Chapecó e leva o apoio da Unochapecó.

Ao todo, serão 33 fotografias em formato Pinhole, de autoria dos fotógrafos Angélica Lüersen e Rafael Souza. A fotógrafa Suellen Santin participa como convidada com retratos no formato digital. O filme é de autoria de Zé Boita, produtor da Lua Caolha Filmes. 

Ao se propor a criar uma narrativa focada nas pessoas trans, que muitas vezes são invisibilizadas socialmente, o projeto joga luz sobre a questão e abre um debate sobre o preconceito e a intolerância. As fotografias e o filme discutem este tema por meio de uma abordagem humanizada e afetuosa, sem julgamento moral, e proporcionam uma imersão imagética e sensorial no cotidiano de pessoas trans, buscando criar aproximações e laços de afeto com o público, como nos fala Jéssica Borges, participante do projeto. “Desde o início fui apaixonada pelo projeto e, sim, me faz chorar quando vejo que ainda existem pessoas capazes de sentir e se envolver nesta causa que para muitos é um tabu”.


Sobre a fotografia Pinhole

A técnica fotográfica escolhida para a produção, a fotografia Pinhole, evoca e trabalha com um tempo mais reflexivo já que se utiliza de um método artesanal de confecção da câmera e para captação das fotografias. Algumas das fotografias do projeto foram feitas com latas de diferentes tamanhos e formatos, utilizando papel fotográfico como negativo. A revelação e ampliação manual em preto e branco foi possível com o apoio da Unochapecó, que cedeu insumos e laboratório para a realização do processo. 



Texto: Angélica Lüersen
Fotos: Divulgação

AUTORA

FVcomunica!

Revista Flash Vip, contando histórias desde 2003.
LEIA TAMBÉM