Home > comportamento > Pet Influencers
14/01/2021 comportamento

Pet Influencers

A produção de conteúdo sobre gatos para as mídias sociais como nicho de mercado.

Quem nunca encontrou o seu animal de estimação em uma posição fofa ou engraçada e resolveu fazer uma foto para registrar o momento? Acho que falo por todos os donos de gatos quando digo que é muito comum encontrarmos a galeria de fotos do celular (e quem sabe, da câmera fotográfica?) repleta de cliques do amiguinho peludo. Mas e quando as fotos, antes feitas apenas como um meio de registrar uma lembrança ou publicadas ocasionalmente, se tornam uma forma de trabalho?

Foi por essa experiência que a chapecoense Karoline Freitas passou ao publicar algumas fotos do seu gato, o Miu, que em seguida, se tornaram perfis no Twitter, Facebook e Instagram. As contas do gatinho chapecoense, juntas, somam mais de 318 mil seguidores. 

Karoline conta que tudo começou quando o Miu ainda era um filhote e ela postava fotos do gato com legendas engraçadas em sua conta no Twitter. Porém, nem todos os seguidores dela gostavam do conteúdo e, por conta disso, ela parou de fazer as publicações. Com o tempo, alguns seguidores começaram a sentir falta dos posts, o que fez com que Karoline criasse a conta no Twitter @wtfmiu, que logo seguiu para as outras mídias sociais e hoje já tem cinco anos desde a criação. Com o passar dos anos, Karoline adotou mais dois gatinhos, Mu, que é macho, e Morcega, uma fêmea. Hoje, todos eles fazem parte do Gato Miu.

Miu, Mu e Morcega


Karoline explica que os perfis dos gatinhos se tornaram um negócio no ano de 2020, quando começou a focar nas mídias sociais após ser demitida por conta da pandemia. Hoje, ela e o namorado, Guilherme Antunes, organizam as publicações a partir de um cronograma que é dividido em dias para posts descontraídos, informacionais, entre outros. Segundo Karoline, é no perfil do Instagram que ela tem mais investido, já que essa mídia é a que proporciona um retorno maior para ela.

Ao mesmo tempo, enquanto gerenciam as páginas, Karoline e Guilherme também aprendem criando novas publicações. Atualmente, eles procuram utilizar todos os recursos oferecidos pelo Instagram para alcançar mais pessoas com seu conteúdo, como reels e também os filtros para stories que ela mesma criou.

Karoline percebe que o conteúdo com que as pessoas mais se engajam são as dicas e informações a respeito dos felinos. Por conta disso, ela diz se sentir responsável pela forma como quem recebe o conteúdo reage e também replica as informações. “Às vezes fico com medo. Tenho que ser muito específica, se falar uma coisa, tenho que me explicar muito bem, por mais que na minha cabeça seja algo meio óbvio. Tem gente que é a primeira vez que vai ver isso e pode entender errado e dar algum problema muito grande. (...) O pior ainda é que às vezes a pessoa entende errado, também tem perfil de gatinho, vai lá e posta errado no perfil dela e escreve que foi nossa dica”, explica. Karoline conta que, em casos como o citado, ela entra em contato para falar que o conteúdo está incorreto, mas que não consegue ter controle sobre tudo o que as pessoas postam.

A tutora dos gatinhos explica que, quando se trata dos posts publicitários, eles optam por conteúdos informativos. “Quando vem alguma coisa diferente a gente faz um conteúdo por trás, não falamos apenas que um brinquedo é legal, trazemos informações além disso”, conta.

Publicidade sobre o novo comedouro dos gatos com informações sobre saúde dos felinos.


No início do mês de novembro de 2020, a produção de conteúdo se expandiu para além das mídias sociais, quando o livro “Diário do Gato Mu” foi publicado. Karoline já produzia posts específicos sobre o diário, que traziam pequenas histórias narradas pelo gato em que ele conta sobre sua rotina e os planos para a dominação felina.

Publicação de anúncio do livro no Instagram


Seguidores

Segundo dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e atualizados pelo Instituto Brasil Pet, no ano de 2018, a população de gatos de estimação era de 23,9 milhões no Brasil. De acordo com a pesquisa, o aumento no número de casas que possuem um gatinho como companheiro aumentou em 8,1% com relação aos dados apresentados pelo IBGE no ano de 2013. 

Entre os seguidores do Gato Miu, estão muitas pessoas que têm gatinhos de estimação. Como Maria Costa, seguidora da cidade de Lisboa, em Portugal, Bianca Azevedo, de Aracajú, no Sergipe, e Marcela Camargos de Divinópolis, em Minas Gerais. Todas elas amam os conteúdos publicados pelo Gato Miu e seguem os felinos há mais de um ano. 

Marcela conta que gosta do humor presente nos textos. “Eu amo que os posts sempre são bem humorados, em primeira pessoa, o que faz parecer que estamos dentro da cabeça deles. (...) O que me mantém como seguidora é que continua leve, engraçado e não perdeu sua essência. Nunca perdeu a graça pra mim, ao contrário do que acontece com outros perfis, de gatos ou não”, explica.

Bianca diz se sentir influenciada pelo Gato Miu, pois gosta de reproduzir brincadeiras ensinadas na página com os próprios gatos. Ela conta que, de tanto mostrar os conteúdos para o marido, ele acabou criando um perfil para o gato deles também. 

Maria já utilizou as dicas ensinadas nas contas do Gato Miu com seus gatinhos e conta que o que mais gosta nos perfis é o humor presente nas publicações. “E o fato de o conteúdo ser original e não copiado de outras páginas, também é um ponto a favor! Aquilo que vejo ali é original e não vou encontrar em mais três ou quatro páginas por aí”, aponta Maria.


*Matéria de Laura Fiori, estagiária de jornalismo da FV.

AUTORA

FVcomunica!

Revista Flash Vip, contando histórias desde 2003.
LEIA TAMBÉM