Home > cultura > História viva
11/03/2022 cultura

História viva

Cia Contacausos comemora 12 anos de trajetória com mostra de espetáculos gratuita e descentralizada, em comunidade rural

Quais são as histórias da sua comunidade? Você já ouviu um causo contado pelos antigos? Quando foi a última vez que você parou para ouvi-los? É com base na força da escuta que inicia neste sábado (12) a Mostra de Repertório da Cia Contacausos. O projeto, premiado pelo Edital Aldir Blanc 2021, por meio da Fundação Catarinense de Cultura, comemora os 12 anos de trajetória da Cia e traz uma extensa programação entre os meses de março e abril, totalmente gratuita.

Ao todo, serão 10 apresentações que acontecerão no Sítio Cultural Nossa Maloca, localizado na Linha Tafona, zona rural de Chapecó. O objetivo é desenvolver ações culturais de maneira descentralizada, em espaços não convencionais, facilitando e oportunizando o acesso cultural de diferentes comunidades, além de trabalhar o acolhimento afetivo do público, na natureza.

“Nós acreditamos na força das histórias, no encontro e na transformação coletiva através da palavra dita”, enfatiza Josiane Geroldi, atriz, contadora de histórias e fundadora da Cia Contacausos. Todos os espetáculos que integram a programação da Mostra foram construídos a partir de histórias da cultura popular brasileira e, em específico, da região oeste de Santa Catarina junto às comunidades caboclas, trazendo as principais narrativas que constituem o imaginário regional desta etnia do oeste catarinense.

De acordo com Josiane, a construção do trabalho se fundamenta na pesquisa e criação. “Os conhecimentos, o povo, o humor, o medo, o fantástico, o imaginário, o encantamento e a paixão pela literatura oral brasileira é o que move o nosso trabalho. Contar histórias, compartilhar a sabedoria popular, e dar voz à cultura oral do Brasil são objetivos da Cia ContaCausos, que se propõe a pesquisar, registrar e difundir a arte da narrativa oral, através da produção e apresentações de espetáculos de narração de histórias”, explica.

Os trabalhos se unem a diferentes áreas do conhecimento, entre elas letras, música, design, artes visuais, audiovisual, patrimônio e antropologia, por exemplo. “Dentre tantas as etapas para levar esse trabalho ao público, a pesquisa e a escuta são o pontapé inicial. Vamos à comunidade e ouvimos as pessoas, suas histórias e causos e trazemos tudo isso para o nosso trabalho. É uma forma também de preservar, valorizar e passar adiante as histórias da comunidade, que também são nossas. Em todo esse processo, conversamos e nos juntamos a diferentes áreas que agregam a esse trabalho”, explica a atriz, sobre o processo de criação.

O primeiro espetáculo que integra a programação da Mostra é o “Vozes Vivas - Histórias de São João Maria”. O trabalho foi construído a partir de uma pesquisa que iniciou em 2008, tendo sua estreia em 2018, após 10 anos. Durante esse tempo, Josiane pesquisou, mapeou, ouviu e registrou histórias dos caboclos da região Oeste, sobre o personagem. “Vozes Vivas” explora diferentes mídias – como áudio, vídeo e oralidade – e faz uso da composição poética dessas linguagens para compartilhar os saberes dos caboclos.  A apresentação está marcada para às 20h deste sábado, e o espaço abre para o público já às 18h. 


Programação da Mostra de Repertório inicia com a apresentação do Espetáculo 'Vozes Vivas' neste sábado (12). Foto: Camila Almeida

Patrimônio imaterial de Santa Catarina

Os costumes, as crenças, as tradições e as histórias fazem parte da identidade de uma comunidade. Ouvir essas histórias e a partir da escuta preservar as  memórias que são patrimônio imaterial da nossa comunidade, fundamentam o trabalho da Cia Contacausos, de Chapecó. A Cia completa neste ano, 12 anos de trajetória com trabalhos que iniciaram no interior de Santa Catarina e se difundiram pelo País.

Além de artístico e cultural, o trabalho está potencialmente presente na preservação do patrimônio imaterial. “É muito importante que as histórias não se percam. Sabemos que, com o passar dos anos, perdeu-se o hábito de ouvir os mais velhos, escutar os causos e as histórias e nós desenvolvemos a escuta como elemento fundamental de criação. Ouvir a história do outro, guardá-la e preservá-la de alguma forma, e a partir do nosso trabalho passar para outras gerações para que continuem vivas”, conta Josiane.

Desde de sua criação, em 2010, a Cia já levou seu trabalho para treze estados brasileiros, em festivais e mostras de teatro, encontros narrativos, escolas e universidades, sendo considerada, atualmente, referência em narração de histórias e pesquisas da cultura popular, citada em livros didáticos e trabalhos de conclusão de curso no estado de Santa Catarina. “Não teríamos como comemorar esses doze anos de uma maneira diferente: fazendo um encontro com o nosso público, com a nossa comunidade”, finaliza a atriz.


Programação de apresentações se estende até o dia 20/04, com espetáculos abertos ao público e direcionado a escolas. Foto: Camila Almeida

Confira a programação

12/03 - sábado -  Espetáculo “Vozes Vivas” - 20h - Aberto ao público

29/03 - terça-feira - Espetáculo “Foi Coisa de Saci” - 10h e 14h - Direcionado a escolas;

02/04 - sábado -  Espetáculo “Imagina Só” - 20h - Aberto ao público;

06/04 - quarta-feira - Espetáculo “Esticando as canelas” - 10h e 14h - Direcionado a escolas;

09/04 - sábado - Espetáculo “Visagem” - 19h - Aberto ao público;

14/04 - quinta-feira - Espetáculo “A Noiva do Diabo” - 19h - Direcionado a escolas;

20/04 - quarta-feira - Espetáculo “Maracá” - 10h e às 14h - Direcionado a escolas.


Texto: Camila Almeida/Girassol Cultural
Foto de capa: Louis Radavelli

AUTORA

FVcomunica!

Revista Flash Vip, contando histórias desde 2003.
LEIA TAMBÉM