Home > guia cultural > O rugido que ressoa entre tempos
06/04/2022 guia cultural

O rugido que ressoa entre tempos

Passado e presente entrelaçados

O som do rugido da onça, de Micheliny Verunschk é um romance e também um livro sobre a História do Brasil. Nele encontramos ficção e realidade caminhando juntas. Uma narrativa atravessada por sentimentos que nos causam fissuras. São sensações que nos dilaceram e nos impactam pela crueldade dos fatos e por suas ressonâncias em nosso presente. 

A obra conta a história de duas crianças indígenas – batizadas de Iñe-e e Juri – que foram raptadas no Brasil do século XIX, ao mesmo tempo que a trama se entrelaça ao Brasil contemporâneo, apresentando também Josefa, jovem que reconhece as lacunas de seu passado ao ver a imagem de Iñe-e em uma exposição. 

A autora tece o presente e o passado a partir de acontecimentos em comum que nos levam a refletir sobre ideias de pertencimento e justiça. Mais do que apresentar a história das crianças e de seus raptores, nesta obra o rio tem voz, a onça, assim como a geografia, marcam presença como personagens encantados. Ao ler somos transportados para o universo do povo originário Miranha da Amazônia, seus rituais e mitos de origem que reconhecem o respeito à natureza, assim como os animais como parte consistente do equilíbrio do mundo. 

Todas essas vozes ecoam em meio às fontes históricas utilizadas para compor a brutalidade e realidade dos acontecimentos. Essas falas são uma tentativa de nos fazer ouvir, refletir e compreender o Brasil a partir de um dos seus momentos mais cruéis e devastadores. Ao mesmo tempo que nos faz entender que estamos em um momento desolador e alarmante, onde o freio de emergência já foi puxado, mas não parece que vamos parar antes de uma estupenda colisão. 

O livro de 160 páginas nos faz refletir sobre como o passado ressoa em nosso presente e nos deixa alerta para o futuro. É preciso refletir sobre o mundo, sobre a terra, sobre para onde caminhamos em nossas ações de aceleramento mecânico e desordenado. E assim, diante do rugido da onça, haveremos de mudar nosso comportamento e talvez consigamos frear a tempo.


O SOM DO RUGIDO DA ONÇA autora Micheliny Verunschk .
MARÍLIA AMORIM é historiadora, mestranda em História na UFRGS e livreira da Humana Sebo e Livraria.

AUTORA

Marília Amorim

Colunista convidada da FV, é historiadora, mestranda em História UFRGS e livreira da Humana Sebo e Livraria
LEIA TAMBÉM